Economizar Energia
Informação, Conselhos e Boas Práticas
     

 

 

Factos

 

O termo energia vem do grego — “energéia” — e, dependendo do contexto, é praticamente sinónimo de trabalho.

Para fins científicos e genéricos, a definição mais usual de energia é a capacidade de produzir trabalho.

Durante quase toda a sua história, o Homem dispôs apenas da energia de sua própria força muscular e da tração animal, do calor da lenha e da captação do movimento das águas e dos ventos. A invenção da máquina a vapor, há cerca de trezentos anos, e a utilização do petróleo a partir do século XIX possibilitaram novas condições e qualidade de vida, criando também novas situações económicas, sociais e ambientais.

Estima-se que aproximadamente um terço da população mundial não tem acesso à energia elétrica e, mesmo em sociedades mais industrializadas, com padrões de vida melhor, ainda coexistem formas rudimentares de transformação e uso da energia.

O continente asiático é o maior produtor de energia (34% do total), seguida da América (31,1%) e da Europa (25,6%). A América do Norte é o maior consumidor - os Estados Unidos consomem mais de um terço do total produzido.

Segundo dados da Agência Internacional de Energia, a produção mundial de energia, em 1997, somou o equivalente a 9,5 mil megatoneladas de petróleo, dos quais 86,2% são provenientes de fontes não renováveis – carvão, gás natural e petróleo.

As reservas conhecidas de petróleo devem durar apenas mais 75 anos; as de gás natural, um pouco mais de 100 anos; as reservas de carvão, aproximadamente 200 anos. Embora tenham uso crescente, as fontes renováveis - água, sol, vento, biomassa - são responsáveis por apenas 13,8% do total produzido.